Bem-vindo ao site da AMDEPOL/SINDEPO.

Adeus ao Delegado de Polícia Benedito Batista Esteves

É com grande pesar que a AMDEPOL/SINDEPO comunica o falecimento do Delegado Aposentado de Polícia Civil de Mato Grosso, Benedito Batista Esteves, aos 71 anos. Segundo a família do associado, o falecimento ocorreu na tarde do último domingo, dia 02 de dezembro.

De acordo com a senhora Zarayr Maria da Costa Esteves, esposa do Dr. Benedito, ele estava internado no Complexo Jardim Cuiabá há 11 dias e foi diagnosticado com tumores no intestino, fígado e pâncreas.

A missa de sétimo dia será realizada no sábado, dia 08 de dezembro, às 18 horas, na Igreja Mãe dos Homens.

Dr. Benedito e a Sra. Zarayr

Benedito Batista Esteves nasceu em 24 de junho de 1947, no município de Cuiabá/MT. Formou-se em Direito pela Universidade Federal de Mato Grosso e era casado com a senhora Zarayr Maria com quem teve três filhos e quatro netos.

Em 12 de maio de 1981 foi nomeado para exercer o cargo de Delegado de Polícia. Durante a carreira profissional, atuou como Delegado de Polícia nas Delegacias dos bairros Parque do Lago (VG), Cristo Rei (VG), Cidade Alta (Cuiabá), Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos do Menor e Corregedoria Geral da Polícia Judiciária Civil, onde permaneceu até o dia 1º de setembro de 1998, data em que assinou sua aposentadoria.

Para a senhora Zarayr Maria, as lembranças que ficam são de um profissional e ser humano admirável.

“O Benedito dedicou muito a vida dele ao trabalho. Ele trabalhava realmente com amor. As pessoas falavam que ele não era só um Delegado de Polícia, mas também um conciliador. Tudo aquilo que poderia resolver sem precisar ir pra justiça, ele fazia. Então os colegas das Delegacias do Parque do Lago e do Cristo Rei sempre falavam que ele era mais que um Delegado, ele era um conciliar que trabalhava com amor, tanto com os funcionários que eram subordinados a ele, como também com os presos e as pessoas que eram submetidas as correções. Ele nunca admitiu que um policial judiasse, batesse ou fizesse qualquer coisa contra o preso, porque ele considerava que todos são seres humanos e erram e as correções devem ser no regime de cumprimento de pena. Então, ele era muito querido em todos os lugares onde trabalhou, tanto pelos outros Delegados, como pelos demais colegas policiais”, declarou Zarayr.

A AMDEPOL/SINDEPO manifesta à família do Dr. Benedito Batista Esteves o nosso mais profundo pesar e solidariedade.

Categorias: Notícias

Comentários estão fechados