Bem-vindo ao site da AMDEPOL/SINDEPO.

DELEGADO DE MT PEDALA POR 940 km PARA SUPERAR OBSTÁCULOS

Destino foi o Santuário Nacional de Aparecida, em São Paulo

KAYO RIBEIRO
Gazeta Digital

Lotado na Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Cuiabá, o delegado Caio Fernando Albuquerque pedalou 940 km para realizar o Caminho da Fé, que termina no Santuário Nacional de Aparecida, em São Paulo.

Ao portal GD, o delegado deu detalhes sobre a experiência e revelou que o saldo final da viagem é a lição de que todos os desafios são passíveis de serem superados. “O legado é esse de que todo mundo é capaz”, afirmou.

Realizado ao longo deste mês, a viagem teve início de carro com saída de Cuiabá até São José do Rio Preto. Na cidade paulista, o delegado e um amigo de pedal trocaram o motor do automóvel por bicicletas e deram início à jornada.

Com o desejo de experimentar a rota, que reúne centenas de peregrinos durante o ano, o delegado aderiu apenas ao essencial e viveu 13 dias sobre duas rodas. Com paradas apenas para o básico, a dupla percorreu cerca de 90 km diários nos primeiros dias.

Contudo, conforme avançava no caminho, o delegado vivenciava a mudança de áreas mais planas para elevações típicas da região. Paralelamente, o custo da alteração na geografia refletiu diretamente no rendimento da dupla, que passou a percorrer em média 50 km diários.

Se por um lado as dificuldades do caminho aumentavam – com elevações que se estendia ao longo de 17 km -, por outro as incertezas diminuíam e davam lugar ao sentimento de agradecimento.

“É um pouco cansativo porque você fica a mercê de alimentação. Às vezes, até de água, porque os trajetos são um pouco longos. Tem a exposição ao sol também. É uma mistura de cansaço físico e mental,”, disse.

“Mas você sente que é um ambiente de muita religiosidade. Embora haja o cansaço, por outro lado você vê na hora isso te dá ânimo. Só entende de verdade quem vai e faz”, acrescentou o delegado.

Caio Albuquerque aponta que a sensação ao chegar a cidade faz todo o trajeto ter sentido. Segundo ele, a jornada permite a quem a executa a dimensão de que as limitações podem ser superadas.

“Um dos recados que o caminho da fé deixa é para que as pessoas não desistam diante dos obstáculos que são colocados na frente, porque eles são transponíveis. Então, se você querer, você consegue. O legado é esse de que todo mundo é capaz”, finalizou.

Categorias: Destaques,Notícias

Comentários estão fechados